VIVER DÁDIVA É, brasileiro ser,comenda é

VIVER DÁDIVA É, brasileiro ser,comenda é

9 de jul de 2011

CANTAR E VIVER








Blogger manuel marques disse...
Canta canta amigo canta vem cantar a nossa canção tu sozinho não és nada juntos temos o mundo na mão Erguer a voz e cantar é força de quem é novo viver sempre a esperar fraqueza de quem é povo Viver em casa de tábuas à espera dum novo dia enquanto a terra engole a tua antiga alegria Canta canta amigo canta ... O teu corpo é um barco que não tem leme nem velas a tua vida é uma casa sem portas e sem janelas Não vás ao sabor do vento aprende a canção da esperança vem semear tempestades se queres colher a bonança. (António Macedo) Abraço.
9 de julho de 2011 15:47
Blogger Fê-blue bird disse...
Meu querido amigo, dedico-lhe este meu simples poema que faz parte do meu perfil no blogue e da minha vida: Já fui um passarinho colorido. Com lindas penas, envaidecido. Um dia... minhas penas perdi. Quebrei...chorei...quase desisti. Mas...renasceram novas penas. De um azul forte e glorioso. E num dia de sol...cauteloso. Olhei para o céu. Minhas asas abri...e voei! Voei... para mim ! Ricardo amigo, Abre tuas asas e voa... para nós, para a tua família e principalmente VOA PARA TI! Beijinhos mil daqui do outro lado do mar Fê Blue Bird
9 de julho de 2011 16:44

2 comentários:

  1. Canta canta amigo canta
    vem cantar a nossa canção
    tu sozinho não és nada
    juntos temos o mundo na mão

    Erguer a voz e cantar
    é força de quem é novo
    viver sempre a esperar
    fraqueza de quem é povo
    Viver em casa de tábuas
    à espera dum novo dia
    enquanto a terra engole
    a tua antiga alegria

    Canta canta amigo canta
    ...

    O teu corpo é um barco
    que não tem leme nem velas
    a tua vida é uma casa
    sem portas e sem janelas
    Não vás ao sabor do vento
    aprende a canção da esperança
    vem semear tempestades
    se queres colher a bonança.

    (António Macedo)

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Meu querido amigo, dedico-lhe este meu simples poema que faz parte do meu perfil no blogue e da minha vida:

    Já fui um passarinho colorido.
    Com lindas penas, envaidecido.
    Um dia... minhas penas perdi. Quebrei...chorei...quase desisti. Mas...renasceram novas penas.
    De um azul forte e glorioso.
    E num dia de sol...cauteloso.
    Olhei para o céu.
    Minhas asas abri...e voei!
    Voei... para mim !

    Ricardo amigo,
    Abre tuas asas e voa...
    para nós, para a tua família e principalmente VOA PARA TI!

    Beijinhos mil
    daqui do outro lado do mar

    Fê Blue Bird

    ResponderExcluir