VIVER DÁDIVA É, brasileiro ser,comenda é

VIVER DÁDIVA É, brasileiro ser,comenda é

14 de fev de 2012

Um Conto de Vida Contida e Interrompida


Em refúgio meu, nas florestas da Tijuca, onde nado, duchas fortes das cachoeiras me banho e energizo, um
jardineiro conheci, Leandro era seu nome, cerca de trinta e poucos anos, simples e humilde, sempre e sempre mui gentil, prestativo e profundamente triste, ele me ensinou da vida coisas,que nenhum jardineiro e ou filósofo,creio, ministrar possa, hoje, ao chegar nesse paraíso, entre a natureza intensa dessa atlântica floresta, ao me deparar com as bananeiras em floração, o ballett das azuis borboletas, a alegria dos tucanos,papagaios e periqutos, soltos,a liberdade e a vida brindando, desse semeador me recordei,passo,dagora a partir, intensas e vividas cenas,inesquecíveis,desse semeador.
Apaixonado por plantas, especialmente pimenteiras,de todos os tipos,cores e aromas, a esse plantador por profissão, me aproximei, para com ele aprender, amor praticar, com a terra e as flores.
Mesmo residindo em andar alto, décimo quinto andar, eu e segunda pele minha,um pé de azaléa temos,de quase um metro e meio,flores nos doando,o ano inteiro,de rosa claras flores, entre pimenteiras ,árvores da felicidade e orquídeas, em casa cultivadas, através desse pastor de flores.
Leandro, aqui está um dos pés de orquídea que mais amo,com  tres tons de azul, ela fenecendo está,podes ajudar???Meu bom semeador respondeu, seu Ricardo,o senhor está acostumado a afogar quem ama???Como assim,amigo meu?Ora ela está encharcada de água, a terra é quase lama, dose sua ternura com as plantas,é mais fácil recuperar uma seca,que encharcada, plantar e tratar,seu Ricardo, é uma maneira de amor fazer, junto a terra, se presa a um vaso ela se encontrar, a sobrevivência, cabe a quem a  aprisionou, na das plantas gaiola.
Não mais me contendo, me aproximei de Leandro e perguntei,meu amigo jardineiro, porque de tristeza tanta essa???Ele sorriu e disse,:Seu Ricardo,tenho uma doença no coração que o deixou grande demais para meu peito, tenho um lindo filho e uma mulher,que parte faz de corpo meu, choro com as plantas e flores, a Deus pedindo proteção a eles, quanto amim,bem sei, que o Senhor é o meu pastor e nada nada, me faltará!
Leandro faleceu seis meses após,nossa azaléa,florifica e até chegamos a perceber o semblante de Leandro,um guerreiro dos mais fortes e belos que em vida conheci e com ele aprendi,

               A   VIVERRRRRRRRRRRRRRRRRRR!!!!

4 comentários:

  1. Pois é, meu querido Ricardo, o Leandro ensinou-te mais uma bela lição de vida.
    Dava ele vida a todas as plantas e amores seus, mas por ele não pôde fazer mais. Chegou sua hora e foi-se, mas deixou a esta doce lembrança que dividiste connosco.

    Sempre pensei que vivesses numa casa rodeada de girassóis :)
    Continuo a pensar que esse 10º andar é assim como um jardim imenso.

    Beijos para ti e Victória, hoje que é dia dos namorados em Portugal.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, renovada com lição e história.. Leandro plantador certamente deixou belas sementes por onde semeou teu bem e flor..
    Ensinou-te a viver, e tão simples compartilha com nós passantes.. Azaléia eterno.

    Um grande beijoo

    Luz amor além coração adentro!

    ResponderExcluir
  3. Amado e idolatrado, salve, salve, Ricardo, o GRANDE.
    Rendo-te homenagem pela sua mente brilhante de poeta que gramaticalmente desafiante, vive a vida de magia.
    É só ler: http://comversoemrima.blogspot.com/2012/02/os-entes-da-mente-da-gente.html

    Beijos casal simpático.

    Márcio e Rita

    ResponderExcluir
  4. Meu Amigo
    Amei seu texto e sua compaixão por esse grande trabalhador de Deus,O JARDINEIRO, pessoas entram em nossas vidas para nos fazer enchergar o óbvio, o amor de Deus.
    Saudades mil,bjssssssssss da sua amiga GITANA.
    Indiana.

    ResponderExcluir